domingo, 20 de outubro de 2013


Das faces deliciosas de uma mulher, se fez a perfeita 

poesia, completa em todas as fantasias e absoluta em 

seus desejos em amar.





Hélio Ramos de Oliveira

quinta-feira, 17 de outubro de 2013


Leitura o amor em silêncio

Leitura que grita em silêncio
Apoderamento do universo
Versos em prosas e encantamento
Conhecimento é um delicioso romance

Verdade, assombramento ou loucura.
Cura da alma
Envenenamento do ignóbil
Compilamento das memorias e emoções

Vivacidade...
Eleita a leitura em voz de silencio
Em posse que demanda o prazer
Estar por todas as partes

Navegar...
Sem solidão
Enveredar-se pelos mundos
Colher e emanar os sentidos

Habituar-se em descobrir
Encenar e ser parte do elenco
Interagir ao responder
Cantarolar virando as páginas

Sonho...
 A face em capa dura
Vidas escritas em tinta
Impressão fulgurante

Abstração do real instante
Fantasias verdadeiras
Pupilas em devaneios ao passear
Olhar os escritos de alma

Verdadeiro ou falso
Acordos que se fazem ao viver
Ler a mais linda literatura
Escrever a historia de você


Hélio Ramos de Oliveira

sábado, 12 de outubro de 2013


Crianças do mundo


O toque de Midas que tudo realiza em riquezas
A grandeza do sorriso e no olhar que reflete a verdade
Criança que decora o mundo de esperança e beleza
As mãos macias que seguram em confiança

O acalento buscando o abrigo
Braços que alcançam a alma
Singela presença da Virgem Maria
Filho que nunca deixa seu reinado

Abracemos as crianças para acariciar o mundo
Olhando o espelho e encontrando as respostas
Somos todos os pequenos meninos e meninas
Aos pais que comovidos ao nascer mais uma criança

Refazendo seu mundo enchendo de esperança
Somos criança como o Deus pequenino nascido em Belém
Feliz é o mundo com tão nobre presença
O amor na alegria do correr e pular

Tão bela fantasia o cântico de seu choro
Os desejos manhosos que dominam em vontade
Crianças são as princesas os príncipes as majestades
Nunca cresce quem sorri dizendo a verdade

Quem acolhe com um abraço de carência e emoção
Ser eterna criança é passear em um bosque
Correr sem destino encontrando a emoção
É a arte em tudo que desenha seu contexto

A oferta de um doce em um olhar de paixão
Brincadeiras eternas conspiração do universo
É ser gente em seu processo de formação
Seremos todas crianças, enquanto houver coração.



Hélio Ramos de Oliveira

sábado, 21 de setembro de 2013


Plantemos uma arvore em nosso coração planeta


Em suas folhagens o brilho imenso do Sol é colheita
Em processo a fotossíntese acontece transformando
Um doce feito sua energia que alimenta e faz viver
Célula da vida que repleta de magia inspira e faz respirar

Arvore que recobre o mundo e faz da vida mais bela
Eterna como o pensamento que fez eternizado a sombra
Tranquilidade em reservar-se a uma vida em acolher
Oliveira eterna que em seus ramos acolhe o Sol

Verdejar e arejar o mundo em sua influencia direta
Ser marcada e violentada e ainda brotar vingando desta agressão
Flor esta que repleta de vida serve o mundo
Em sua morte faz o sepultamento trazendo o viver

Acolhe o canto dos pássaros que anunciam o amanhecer
Oferta de seus galhos a fruta mais doce que alimenta
Faz a seiva mais pura o balsamo da vida
Arvore amiga que entrega ao mundo o oxigênio

Planeta das arvores que se reveste da vida
Das mais altas Sequoias as microalgas que resplandece
Homenagem do grande arquiteto do universo
Sejamos protetores destes seres tão imponentes

Sejamos o vento que semeia
Sejamos o olhar que admira
Sejamos tantos e mais um
Plantemos uma arvore para os filhos que virão

Sejamos o exemplo
Um plantador de amor
Sejamos então para o sempre
Semeadores

Plantar uma arvore é muito mais que escavar o chão
É passar para adiante o sonho
Construir o paraíso
É conspirar com Deus



Hélio Ramos de Oliveira

domingo, 15 de setembro de 2013


Tempo


Quanto ao tempo?
Diga ao vento!
Sem tempo
Sem vento

Sem tempo algum
Sem vento algum
Sem...
Algum...

O vento sem soprar
O tempo sem passar
O vento
Relento sem orvalhar

Passou o que não existiu
Passou o que nunca existiu
Uma fabula sem fim?
Anunciar sem começo?

O alento!
O amor!
O que tem?
Ninguém?

Pra onde se vai?
De onde se vem?
O trem que partiu!
O frio que sentiu

Forja o sentido do acaso
Escorre a lágrima
Formando um sorriso
Tristeza ou felicidade?

O só da saudade
Tristeza sem beleza
Soa o sino do amar
Solidão que ecoa no espaço

O tato sem nunca pegar
Acelera o coração
Pulsa forte dilacerando as artérias
Tempo...

Nunca morre o que nunca viveu
Ceifar o tempo sem que ele passe
Sem tempo?
Alma amada desta alegria

Percorrer os caminhos sem nunca chegar
Abraçar-se em solidão
Sem o vento
Com o tempo que nunca passou

Viver em um paraíso
Longínquo porem tão próximo
Soprar as palavras e sentir o vento
Fazer o ar em poder amar para sempre




Hélio Ramos de Oliveira

sábado, 24 de agosto de 2013


Olhar


Olhar-te languida em seu espaço feminino
Adornada com seu laço de fita
Menina cinderela sendo ela a mais bela
Olhar de pureza que emoldura a beleza

Meu ser menino se anima em amor
Alinha-me a inspiração de um conto
Ter a bela em meus encantamentos
Ser dela seu príncipe menino

Ver o brilho de seus olhos a me fitar
Acolher em minha segurança seus dedos
Abraçar seu corpo e sentir sua respiração
Magia de seu beijo que me eleva em um pairar

Doce princesa que me faz perder-se em inspiração
Pelas marcas de nossa juventude
Alusão do amor mais que perfeito feito de verdade
Amar sem tempo e sem destino

Amor do meu eu menino distraído e feliz
Extasiados de amor repleto de nossas fantasias
Minha Cinderela!
Serei sempre seu poeta menino



Helio Ramos de Oliveira

quarta-feira, 14 de agosto de 2013


Meu melhor agosto


Presentear com a presença mais esperada
Ser o pai mais feliz em um sorriso abobalhado
Perdido em um ambiente que faz da dor o mais esperado amor
Encontro com a mais fascinante das magias

Olhar nos olhos que quem rompe um pranto
Amor em sangue à dor se desfaz
Sorrisos e cumprimentos
Nasce o rebento que por tanto tempo fez esperar

Lara Sophia o amor em forma de gente
Em seus olhos cerrados em um sono de princesa
Meu amor aflorado em ramas envolvendo-a em meus braços
Sentir seu corpo e lembrar-se de seus movimentos

Saída do ventre abraçando seu destino
Caminhar de sensibilidade
Pai e filha, amor e amada caminhada eterna.
Ver a menina correr pelos espaços
Encontrar seu mundo apoiada com a carícia
Ensinar a amar e receber a complacência
Sensibilizar-se com os olhos marejados de amor
Minha doce e meiga filha...

Quanto amor derrama meu coração por ti
Ouvir de você o quanto sou importante
Fazer de meus instantes únicos e os mais belos
Construiremos um universo de canções

Ecoaremos amor por todas as dimensões
Seremos a poesia mais bela e distinta
Pajearemos um ao outro com carinho e amor
Em nossos sorrisos estamparemos nosso bom viver

Estaremos juntos soltos no ar
Quando escutarmos o vento estará unido nossos corações
Desde sempre em seus oito anos de idade
Somos amor em meio a verdade

O sorrir e a espontaneidade
Soltos em nosso ar de fidelidade
Filha amada!
Minhas lagrimas escorre na face

Meu amor com inteligência te ensina
Por um mundo melhor eu batalho
Quero a felicidade do construir este mundo
Por você vivo a cada um desses dias

Por ser pai sou espirito sem ser santo
Movo os morros para a nobreza de receber seu sorriso
Beberemos da água deste manancial
Nosso amor sempre incondicional



Hélio Ramos de Oliveira 

domingo, 11 de agosto de 2013


Ao meu pai e ao pai que sou


Ser o berço da segurança o amor de minha mãe
Sorriso que toma a face diz sem nada dizer
Em exemplo me conduz ao pensar respeitando minha diferença
Papai querido papai mesmo quando fostes embora te amei

Veio os dias em saudades veio à vez de ser papai
Neste dia recebi a benção de receber em meus braços minha filha
Ela nasce neste dia, dia dos pais era quase meio dia emoção e alegria.
Ser o pai que sempre segura ter o pai que te incentiva

Siga em frente com a mão amiga seu destino é ser feliz
Pai é o jovem ansioso em ver seu rebento caminhar
Pai é o exemplo mais correto deve ser se esmerar
Pai é o tudo em todas as horas é o amigo em te ouvir

Pai é o filho desenvolvido que replica as atitudes
A emoção que faz chorar
Benção meu pai tanto querido
Deus te abençoe minha filha por onde andar





Hélio Ramos de Oliveira

terça-feira, 6 de agosto de 2013


Lorelai a sereia mais linda


Ser Lorelai, a mais fantástica sereia do rio Reno
Ninfas que vive nas águas mais profundas dando o movimento ao fluxo do amor
Corrente de plenitude que torna perigoso o amar sem entrega
Encantando com sua beleza e possuindo com sedução

Assoviando e distribuindo como em uma brisa seu som
Amor que nunca se desfaz do sorriso
Adornar-se com estrelas do mar
Acariciada em seus cabelos pelo vento quando acomodada em seu rochedo de luz

Linda e absoluta figura desta imensa liberdade
Fascinante em seu ela a paixão que move os céu e mar
Beijar-te os lábios e sentir a fúria em seu coração
Com sua calda proeminente movimenta-se com perfeição e magia

Ser sua posse e desfrutar de seus carinhos
Completar-te em sua busca e ser seu ultimo amor
Escreveremos nossa historia seduzidos pela liberdade do amor
Enfrentar os obstáculos recheados de prazer



Hélio Ramos de Oliveira

quinta-feira, 1 de agosto de 2013


Feliz em meu aniversário

Sou a poesia que nasce neste dia
É inverno em Capricórnio sou Leão zodiacal
Composição do poeta e poetiza, em uma deliciosa comunhão.
Escrevo com a arte do amar incondicional

Ver as flores colher amores, escrever a descrição.
Vejo o céu em seu deslumbre deslumbrante aparição
Quero o amor das margaridas ser o mante da rosa ter a gentileza do cravo

Ser livre ao ser escravo das paixões de meu amor
Ter o beijo das puras delícias e o toque da sedução
Sinto o prazer em ter da vida mais amores
Aniversário a cada instante

Em meu nascente ou no poente serei o sol em sua aparição
Acolho em meu peito a verdadeira fonte da vida
Sou do amor seu fiel escudeiro
Será o amor o meu derradeiro

Felicitarei meu aniversario para o bem e feliz
Por todo tempo feliz
Serei o ator desta vida sendo ela a bela atriz
Ser feliz nesta partilha fazer feliz quem me ama ao sorrir respirar



Hélio Ramos de Oliveira

sábado, 20 de julho de 2013


Inédito amor do poeta e sua poesia

Sentir a presença do amor em seus braços fez-me perder o rumo de minha vida. Sou o poeta em seu poente, esplendor do viver ao som de “Daphnis et Chloé - Ravel – Dutoit”, em esperançar-me de sempre encontrar seu amor.
Viver os encantos do amanhecer ao ter banhado seu corpo e sentido sua pele macia ao meu toque em te acariciar pelo tempo em seu corpo massageei os meus desejos e senti meu corpo farto do amor e prazer que em proporção do viver me fez amar-te tanto mais que com minha alma. Apoderaste de mim ao sussurra no ar um gemido de seus delírios e contar-me suas fantasias de amante e mulher.
Estar seu pelo tempo que paira as estrelas deste imenso céu que moldura a arte de nosso amor... Quero-te tanto, quanto quero meu viver em plenitude o alarde deste amor derradeiro e a esmo encontrei seus recantos trazendo em si minha felicidade. Amada!...
Com um grito ressurjo em amor e poesia, fizeste assim sua real magia em encantar o poeta em sua loucura desmedida e desatinada.
Abraça-me com suas pernas e segurar-me a cabeça, pelo tempo em que te devoro ao buscar em cada gota sua pureza em me sentir, será eterno por ser eu o ultimo a contemplar-te com o mais puro prazer ao tocar-te com a alma e todo meu amor. Possuir você, inesquecível mulher que pelo sempre será por mim amada e reverenciada como perfeição.
Tanto amor me toma ao som de oboés e assovios de flautas desta imensidão musical que eleva minha alma branda ao seu encontro me trazendo os sentidos de ter possuído a mais perfeita mulher que dentre todas me faz sonhar e cometer o ato mais perfeito de meus dias em amar e amar sem pudores sendo assim mais que amores acasalar com o nosso viver ao acontecer com pureza e satisfação à forma sã deste amor acontecer tão derradeiro, porém verdadeiro do ato fato ao amanhecer.
Percorrerei as escritas e encontrarei, em um único verso quero descrever o inédito sentir deste poeta que descreve o amor em aventura descobrindo o próprio motivo de viver e amar.



Hélio Ramos de Oliveira

sexta-feira, 28 de junho de 2013


Octogenária menina mamãe


Uma prece é chorar com lagrimas de amor seu aniversário
Renasce minha mãe menina com seu sorriso acanhado
Cuidadosa serve o bolo aos seus com o amor incondicional
Ver seus rebentos em gerações mãe, vovó, bisa amor...

Acalentar sua alma em ver reunido o que se espelha
Tempo...
Mamãe...
Colher de seus filhos o respeito e o exemplo de dignidade

Calar o choro em amamentar
Fazer sorrir ao presentear
Abraço que acolhe e protege
Segurar a mão e atravessar os horizontes

Mostrar o mundo e galgar os montes
Paraíso que marca a vida a cada viver
Minha mãe Severina minha mamãe menina
Adormeço em seus braços e ouço seu amor

Cheiro de segurança, somos todos suas crianças.
Mamãe...
Em seus oitenta anos ver seu sorriso e amor
Todo esplendor de ser seu e ter você minha

Menina mamãe meu amor em seus olhos meu sonhar
Amo-te sem tamanha fantasia
Acordo e sei que esta ao meu lado
Esta em tudo que acredito

Sou seu filho em amor e espirito
Minha inspiração em viver firme e reto
Constelação que faz o alumiar de meu universo
Minha mamãe luz e companhia

Menina que faz de seu hálito o frescor da liberdade
Amizade e cumplicidade
Felina menina mamãe
Amor que me fez vencer em encarar a vida

Ensinou-me a poesia mais linda
Remanso do meu amor...
Dar-te-ei meu amor
Recebo minha vida desta minha mãe

Flor
Amor
Calor
Severina minha mamãe menina




Hélio Ramos de Oliveira 

terça-feira, 18 de junho de 2013


Brasil de seus filhos


Vejo em um horizonte as mãos dadas
Sem fronteiras a sonhada liberdade
Em raio límpido do orgulho a pátria amada
Organiza-se o sonho da esperança

Caminhando de norte a sul de leste a oeste
Uma marcha de outono liberta a alma
A juventude enfrenta a força de peito aberto
Em sua gloria aos montes juntam-se ó brasileiros

Que por amor e esperança sempre acredita
Cantando as frases de ordem contra a corrupção
Sente na pele a covardia dos que governam
Veste-se de paz contra a violência e agressão

Em noite aberta caminha aos montes pelo país
Nas batalhas a união completa a força
Acorda a esperança e vem pra dança conquistar
Valorosa é o preço que se paga a liberdade

Ergue-se o gigante em sua nobreza
Somos a força em seu coração verde e amarelo
Nunca se venda por qualquer que seja os centavos
Nada no mundo pode desmerecer sua bravura

Não foges e sabe quanto custa à dignidade
De rosto aberto faz o certo em se juntar
Rompe-se o grito de liberdade nas avenidas povoadas
Ergue-se o Brasil de seus filhos que não fogem a luta

Um povo heroico que em seu brado retumba a liberdade
Em seu céu lindo vejamos suas glorias
Pelas redes que se formam em amor febril
Espalha pelo mundo seu esplendor

Ouvindo das capitais o clamor de justiça
Ergue-se ó Brasil florão da América
Seremos um em muitos sem grilhões
Justiça seja o símbolo de nosso amor

Pátria amada salve seus louros em sua gloria
E salva por seus filhos que não desistem nunca
Com nosso amor se faz a esperança das conquistas
Brasil o nosso sonho é mais amor



Hélio Ramos de Oliveira

domingo, 16 de junho de 2013


Meu manifesto


Modifico minhas atitudes e faço de minha face, a expressão de minha alma.
Felicito com minha impressão do estar em bem ou mal dentre as situações
Meus arroubos são juvenis e minha fúria como um vento desloucado entre quente e frio
Enclausuro-me em meus sentimentos que rompe o tempo em ser e estar

Inconstante sopro as velas do barco que me navega em silêncio
Oceanos entre céu e inferno criados pela ânsia do meu viver sem dor
Coragem que vem das cores do universo em espectros de minha alma
Reflexo desta indignação que faz o pulsar do sangue quente e o coração latente

Os músculos de meu corpo se moldam em sentimentos desta revolta insana
Entre asas e barbatanas navego em meu ego distinto informal e impudico
Sem sombras ilumino-me do brilhante amor que me faz existir
Possuo em amor as belezas em beldades magnificas como um sonho de amor

Meu aparato de amor é o ódio que não me toma nem me faz cair
Impregno-me das suaves brumas que envolvem meu ser como em uma copa de arvore
Transpasso as dimensões entre o choro, o soluço e o intenso sorriso.
O amigo em ser amante carregado de ternura recria-me em meu manifesto de amor.


Hélio Ramos de Oliveira

terça-feira, 11 de junho de 2013


Janelas de nossas vidas


Janelas que expõe o mundo em suas belezas
Luzeiros em forma de flores de cristal
Acendem o escuro nos altos deste céu
Cor de pêssego margeada pelo rosa da poesia

Em cantos espalhados com um rolo ou pincel
Vida que se forma em brancas nuvens desta tela
Absorve em seus poros cada gota deste suor
Trás as gotas prateadas entornadas por madrepérolas

O recanto do alimento da carne alma do amor
Escolhida e pensada agraciado de esplendor
Estar a Lua em seu canto mais noturno e ver o Sol
Avermelhado deitando em seus braços de outono

Uma delicia de café posto a mesa a qualquer tempo
Ver pela porta o céu em azul e festejar
Em tons de ameixa brecha pra se olhar
Fazer de conta que o espanto esta presente e brincar

Uma lua rosa e um Sol azul abrilhantando os caminhos do sonhar
Descanso em linhos de tantos fios e repousarem
Abrigar o amor em construir passo por passo o presente
Ser amante do amante em cumplicidade do existir

Emoldurada a janela que apresenta o por do Sol
E pela porta que recebe a luz de todos os sonhos realizarem-se
Os espectros emanados de almas nobres e felizes
Assim estão na formação desta família encantada de amor



Hélio Ramos de Oliveira

segunda-feira, 27 de maio de 2013


Minha filha linda

Fizeste minha vida mudar o rumo
Inspiração deste poeta em uma imensa alegria
Atingindo o céu com sua aparição
Seu corpo em movimento me fez sonhar ainda mais
As lagrimas que escorreram em meu semblante

Meu maior momento de amor
Ser seu para sempre
Estará em mim pelo universo do meu viver
Minha filha...
Mudou minha vida em tudo

Choro por amar você com todo meu amor
Faz-me soluçar com tudo que sinto em verdade
Emociona-me em te dizer amo
Sempre estarei com você por onde quer       que eu esteja
De tudo sempre farei por amor...

Meu maior crédito esta em ser abençoado com sua presença
Menina linda que em sua dança sorri
Alimentarei minhas emoções em ouvir seu nome
Lara Sophia...
Tanto amor me faz ser ainda mais feliz

Que todos os cantos deste planeta ecoe seu nome quando estou com você
O grito que explode em mim...
Filha... Tanto te amo que meu sangue ferve em amor
Meu ar...
Nada separa o que nos uni em amor verdadeiro

Terei a vida para te carregar no colo e cantar pra você
Seremos a união em sangue e felicidade
Criaremos os tons dos nossos sorrisos
Quanto amor cerca-nos  alimentados de brincadeira
Ver crescer e ser a mais linda

Minha linda Lara...
Amor verdadeiro e derradeiro
Faça-se em amor seus caminhos e que se abram em flores
Que seja os ramos das oliveiras seu acalento
O brilho do Sol a te iluminar

Que as lagrimas que inundam minha face
Se faça de amor por estar sempre com você
Por cada gota que se lança de meus olhos esteja a felicidade
Meu paraíso é sempre estar em sintonia
Amo você minha filha


Hélio Ramos de Oliveira